• Fábio Santos

Nota pública nr. 003/2021 - Solidariedade ao povo afegão, em especial às mulheres e meninas.


Toda pessoa tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal (Declaração Universal dos Direitos Humanos, Art. 3º)


A Abrepaz, entidade voltada à promoção de uma cultura de direitos humanos e não-violência, manifesta sua solidariedade, bem como sua preocupação, ao povo afegão, especialmente às mulheres e meninas. O controle do país, refém de interesses geopolíticos desde sua independência no começo do século XX, foi tomado pelo grupo radical islâmico Talibã (em 15 de agosto) após 20 anos de ocupação pelas tropas norte-americanas.


As cenas que se seguiram à chegada do grupo fundamentalista à capital Cabul são devastadoras e expõem o tamanho da crise humanitária e de direitos humanos que o mundo vem enfrentando de maneira contundente.


Preocupa-nos sobremaneira a situação das mulheres e meninas que permaneceram no país e que, devido ao regime extremista, serão proibidas de trabalhar, frequentar escolas e universidades, andar desacompanhadas ou sem a permissão do marido e de exercer as atividades que desempenhavam até então. A perspectiva é de que casamentos forçados e violência sexual sejam recorrentes. O controle sobre seus corpos e suas vidas será total, sem possibilidade de autonomia.


Tão essencial quanto a liberdade para que as nações escolham seus modelos políticos e religiosos é a responsabilidade internacional de assegurar o acesso aos direitos civis, sociais, o direito à vida e à dignidade de todos e todas. Não apenas responsabilidade de proteger contra a violência do Talibã, mas também sensibilidade e empatia para entender a singularidade da nação afegã e possibilitar os meios para que o povo decida pacificamente seu destino sem a invasão externa de sua cultura e território.


Clamamos para que as próximas decisões da comunidade internacional – governos, organizações internacionais e sociedade civil organizada – sejam tomadas tendo em consideração os melhores interesses do povo afegão para cessar a crise humanitária que se desenrola, alcançar liberdade política, civil e religiosa, garantir os direitos de mulheres e meninas, assim como salvaguardar os progressos alcançados até o momento pelos afegãos.


Informemo-nos sobre a realidade no Afeganistão e ouçamos as vozes do seu povo. Recebamos nossos irmãos afegãos de braços abertos. A verdadeira solidariedade é ampla e se estende à comunidade humana.


Brasil, 31 de agosto de 2021

Associação Brasileira Espírita de Direitos Humanos e Cultura de Paz - Abrepaz

Diretoria Executiva



 

Referências

Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU: https://www.unicef.org/brazil/declaracao-universal-dos-direitos-humanos. (Acesso em: 23 de agosto de 2021).


Afeganistão: como os exércitos mais poderosos do mundo foram derrotados no ‘cemitério de exércitos’ nos últimos 180 anos: https://www.bbc.com/portuguese/geral-58292284. (Acesso em: 23 de agosto de 2021).

23 visualizações0 comentário