• Fábio Santos

ABREPAZ participa de ato em combate à violência sexual

Atualizado: 1 de jun. de 2019



Em tempos de tanta violência e indiferença contra mulheres e crianças, precisamos unir forças e corações para criar uma rede de apoio, proteção e amor para as vítimas. A sociedade está doente, os números mostram de forma inequívoca (70% da violência sexual contra crianças são praticadas dentro de casa, pelos pais, mães, padrastos ou parentes das vítimas!), mas conhecer tantas pessoas dispostas a contribuir de alguma maneira, para a conscientização e tratamento desta “doença”, é muito gratificante! Nos enche o peito de esperança!


Dia 18 de maio, data em que se promove o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, a AbrePaz participou do ato em solidariedade às mulheres e menores vítimas de abusos sexuais que denunciaram o médium João Teixeira de Faria, conhecido como “João de Deus”.


O caso é considerado na atualidade como o maior crime sexual em série do mundo.


O ato, realizado em Abadiânia - município próximo a Goiânia, foi promovido pela Rede de Atenção a Crianças, Adolescentes, Mulheres e Idosos em Situação de Violência, de Goiânia, pelo Fórum Goiano pelo Fim da Exploração Sexual Infanto Juvenil e Núcleo de Vigilância às Violências e Promoção da Saúde de Goiânia – SMS de Goiânia; e contou também com o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF), da prefeitura e autoridades do município de Abadiânia e outras entidades listadas ao final deste relato.


Entre outras ações, foi realizada uma blitz de caráter educativo pela PRF para que os motoristas pudessem receber orientações sobre como denunciar casos de violências sexuais e a importância de proteger as crianças e adolescentes.


Foram plantadas, nas avenidas da cidade, 314 mudas de ipê amarelo, em homenagem à cada uma das vítimas que denunciaram João Teixeira.


Logo após, houve um ato simbólico com a manifestação dos organizadores e a revoada de mais de 1.000 pombos que emocionou a todos presentes.


Nossa gratidão à Maria Aparecida, psicóloga do Núcleo de Vigilância às Violências e Promoção da Saúde da Secretaria Municipal da Saúde de Goiânia, pelo convite e parceria, e pela nobre iniciativa em favor destas mulheres e crianças dignas de nosso respeito, apoio, amor e compaixão.


A AbrePaz se posicionou sobre este lamentável episódio na Nota Pública 001/2018 (https://www.abrepaz.org/blog/nota-publica-001-2018-joao-de-deus), onde manifestou solidariedade as vítimas e repúdio ao machismo, misoginia, feminicídio, sexismo, ao abuso moral e sexual, ainda mais quando praticado por pessoas que encontram-se em suposta posição de superioridade religiosa, política ou econômica contra pessoas em evidente fragilidade e vulnerabilidade emocional.


Também não concorda com a idolatria a qualquer médium, reconhecendo o exercício da mediunidade como encargo a ser praticado com dignidade e gratuidade, e jamais como privilégio moral ou superioridade espiritual, e que não deve receber quaisquer ganhos materiais, diretos ou indiretos, resultantes do exercício da mediunidade ou das suas condições de atendimento a quem quer que seja.


No dia do enfrentamento ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes, lembramos a necessidade da educação sexual nas escolas, sem dogmas, sem mitos, de forma clara e educativa, para que as crianças possam reconhecer abusos que possivelmente estejam sofrendo, e assim fazer a denúncia, seja para o professor, o conselho tutelar, ou pelos serviços abaixo listados.


Os serviços para denúncia, inclusive anônima, de todo e qualquer tipo de violação dos Direitos Humanos são:


  • Disque 100 (Disque Direitos Humanos): O usuário disca para o número 100, passa pelo atendimento eletrônico e, após selecionar a opção desejada, é encaminhado ao atendimento humano. O atendente registra a denúncia e fornece o número do protocolo.

  • Aplicativo Proteja Brasil: O usuário vai à loja de aplicativos do seu celular e faz o download, gratuitamente, do aplicativo Proteja Brasil, disponível para iOs e Android. Rapidinho, respondendo um formulário simples, o usuário registra a denúncia, a qual será recebida pela mesma central de atendimento do Disque 100. Se quiser acompanhar a denúncia, basta ligar para o Disque 100 e fornecer dados da denúncia.

  • Ouvidoria Online: O usuário preenche o formulário disponível em http://www.humanizaredes.gov.br/ouvidoria-online/ e registra a denúncia, a qual também será recebida pela mesma central de atendimento do Disque 100. Se quiser acompanhar a denúncia, basta ligar para o Disque 100 e fornecer dados da denúncia.


Realização:

  • Rede de Atenção a Crianças, Adolescente, Mulheres e Idosos em Situação de Violência de Goiânia

  • Fórum Goiano pelo Fim da Violência e Exploração Sexual Infanto Juvenil

  • Núcleo de Vigilância às Violências e Promoção da Saúde de Goiânia – SMS de Goiânia


Parceiros:

  • Associação Brasileira Espírita de Direitos Humanos e Cultura de Paz (AbrePaz)

  • Associação Mães da Sé

  • Associação Goiana dos Criadores dos Pombos de Corrida – AGCPC

  • Associação Mais Árvores

  • Combate ao Abuso no Meio Espiritual (COAME)

  • Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduíno

  • Comitê Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes

  • Conselho Regional de Serviço Social (CRESS)

  • Conselheiros Tutelares de Goiânia

  • Governo do Estado de Goiás – Viva Goiás – SUVISA e SEST-SUS\SES

  • Grupo Vítimas Unidas

  • Instituto Rizzo

  • Mandato Adriana Accorsi

  • Prefeitura Municipal de Goiânia – SMS\SME\SEMAS\AMMA

  • Polícia Rodoviária Federal (PRF)

  • Projeto Vira Vida

  • SEST/SENAT


Fábio Santos

Presidente da AbrePaz



20 visualizações0 comentário